Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.
Diminuir
Aumentar
Imprimir
  • RELOP assinala 10 anos destacando o protagonismo da associação para o desenvolvimento regulatório das 11 entidades membro 


    A XI Conferência Anual da Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Oficial Portuguesa (RELOP), que este ano se realizou a 21 de maio de 2018, na sede da ANEEL em Brasília, Brasil, reuniu 22 representantes de Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Moçambique e São Tomé e Príncipe para debater os desenvolvimentos tecnológicos e regulatórios do setor energético.

    A abertura da conferência, que este ano assinala do 10º aniversário da sua fundação, foi efetuada pelo diretor da ANEEL, André Pepitone da Nóbrega, que reforçou o protagonismo da RELOP para o desenvolvimento regulatório das 11 entidades dos seis países associados.

    O presidente em exercicio da RELOP, Guilherme Mavila, do regulador moçambicano ARENE,  destacou a importância do encontro, assinalando os 10 anos de criação da associação, bem como a escolha do tema este ano dedicado aos desenvolvimentos tecnológicos e regulatórios no setor elétrico.

    O I Painel dedicado ao “Desenvolvimentos tecnológicos e regulatórios no setor da eletricidade” permitiu analisar os novos sistemas de monitorização de informações, pesquisa e desenvolvimento no setor de energia e os avanços da energia solar.
    O II Painel sobre os “Desenvolvimentos tecnológicos e regulatórios nos setores de Gás e Petróleo” debateu os desafios para a expansão do uso de gás no setor elétrico, bem como a estabilidade dos marcos regulatórios do setor de petróleo e biocombustíveis.
    O III Painel relativo aos “Desafios para a manutenção da qualidade e independência regulatória”  debateu os entraves à autonomia das entidades reguladoras e os mecanismos de avaliação de impacto regulatório. Abordado foi ainda o papel da cooperação entre os países para a construção de uma nova governança do setor energético no painel relativo às  “Integração Energética e Experiências Internacionais”.

    O encontro terminou com uma mesa redonda sobre o desenvolvimento dos mercados das redes de distribuição.





Partilhe esta informação: FacebookLinkedInTwitterGoogle+