22 Novembro 2019
Diminuir
Aumentar
Imprimir
  • ERSE apresentou publicamente o Plano Estratégico 2009-2012 

    A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) apresentou, ontem, o “Plano Estratégico 2009-2012”. O novo Plano Estratégico tem como principal objectivo definir os objectivos a prosseguir pela ERSE nos próximos quatro anos, bem como as estratégias que se propõe desenvolver de forma a prosseguir, com eficácia e eficiência, os objectivos programados.

    ERSE apresentou publicamente o Plano Estratégico 2009-2012

    Em 2008, encerrou-se o ciclo de actividades previsto na “Estratégia e Plano de Actividades 2005-2008”. Face a esta circunstância, o Conselho de Administração da ERSE decidiu desenvolver, no decurso do primeiro trimestre de 2009, um exercício de planeamento, amplamente participado pelos seus Colaboradores, tendo em vista a elaboração do Plano Estratégico 2009-2012.

    Embora assegurando uma linha de continuidade coerente e consistente com a estratégia de regulação actual da ERSE, este Plano permite enfatizar novas perspectivas regulatórias tendo presente os desenvolvimentos recentes e evoluções esperadas no contexto energético global e nacional.

    Neste contexto, este documento clarifica o quadro de partida que sistematiza os aspectos que mais marcam o contexto de regulação do sector energético, identifica as principais tendências e desafios que se antecipam para os próximos anos e, finalmente, define os objectivos a prosseguir nos próximos quatro anos bem como as estratégias (que nos propomos desenvolver de forma a prosseguir, com eficácia e eficiência, os objectivos programados) associadas.

    No Plano Estratégico 2009-2012”, estão identificados os seguintes eixos estratégicos:

    • Valorizar a inovação e o aprofundamento da regulação, promovendo a concorrência nos mercados da energia, melhorando os instrumentos de regulação dos monopólios naturais, estimulando o investimento inteligente e procedendo à simplificação administrativa;
    • Reforçar os mecanismos e os instrumentos que visam a coesão e a protecção dos consumidores através da consolidação das actividades de supervisão e do aprofundamento dos mecanismos de partilha de informação e de participação dos consumidores no processo regulatório;
    • Contribuir para a integração do mercado energético português em mercados regionais mais alargado através de iniciativas como sejam a criação do MIBEL, as propostas tendo em vista a criação do MIBGAS e as actividades que têm vindo a ser desenvolvidas no âmbito dos Mercados Regionais de Electricidade para o Sudoeste da Europa e do Gás Natural para o Sul da Europa;
    • Promover a comunicação e a transparência no exercício da regulação através da valorização das Consultas Públicas e de outros instrumentos de participação colectiva, da aposta na disseminação de mensagens mais pedagógicas e acessíveis e da promoção do trabalho em rede;
    • Promover o desenvolvimento de comportamentos e estratégias sustentáveis através do estímulo à eficiência no consumo de energia, do incentivo ao desempenho ambiental das empresas reguladas e da contribuição para a eficiência no trânsito de energia nas redes e infra-estruturas.

    Face a um contexto de incerteza e de mudança, o presente Plano será utilizado como referencial para as actividades de regulação da ERSE, devendo proceder-se, sempre que se justifique, aos necessários ajustamentos de forma a torná-lo mais adaptado à realidade sobre a qual pretende actuar.

    A cerimónia de apresentação pública do “Plano Estratégico 2009-2012” decorreu, ontem, pelas 18h00, no Centro Cultural de Belém e contou com a presença do Conselho de Administração e Colaboradores da ERSE, com a presença de representantes dos consumidores de energia, das empresas reguladas e das empresas do sector energético e com entidades e personalidades da Sociedade Civil.

Partilhe esta informação: FacebookLinkedInTwitterGoogle+
Portal do Consumidor de Energia
Simuladores
Comercializadores
Tarifa Social
Como Funciona Eletricidade
O Gás Natural: Como funciona?
Como Funciona Combustíveis
Como Funciona GPL
Registo Consultas Públicas
 

Este sítio utiliza cookies para assegurar uma melhor experiência de utilização. Ao continuar a navegar está a concordar com a sua utilização.  Saber mais